sábado, 11 de novembro de 2017

Presente!



Este "Bancada Azul" conheceu entre Abril e Maio de 2017 alguma animação. O projecto, que começou com outro nome e com outros objectivos (na sua génese era minha intenção transformá-lo numa género de revista online sobre história, cultura e actualidade belenenses, com artigos e reportagens de fundo), divergiu para um género de blogue pessoal que, a dado momento, me pareceu inútil e redundante.

Acontece que a realidade é dinâmica e que aquilo que ontem me parecia evidente já não tem esse valor inquestionável nos dias que passam.

O Belenenses vive o momento mais crítico dos seus 98 anos de história, exigindo luta, comprometimento, unidade associativa, arrojo e, claro está, profundo sentido crítico. O Belenenses precisa de gente, de um associativismo participativo, de mais democracia, de maior envolvimento com a comunidade. Na minha perspectiva só terá futuro rasgando com uma deriva "empresarial", que leva três ou quatro décadas, e que teve na constituição da sua SAD para o futebol profissional o momento decisivo.

É verdade que o Belenenses tem mais grupos na internet do que sócios nas bancadas do pavilhão (e essa é a ilustração mais nítida do problema associativo que se encontra na génese da situação em que nos encontramos). Mas parece-me hoje claro que não existe contradição alguma entre uma intervenção activa no "mundo digital" e um envolvimento presencial insubstituível. Veja-se o papel fundamental que o grupo #tweetpastel assumiu e assume desde há anos na defesa do Belenenses e do seu bom nome na rede social Twitter.

A "Bancada Azul" está de regresso.